Civita II por Mino Carta

Por Bruno Pavan

Não leve à mal este despretensioso blog, ele torce pela plena recuperação de Roberto Civita.

Internado no Sírio Libanês há dias, Roberto passou o bastão da Abril para a III geração da família, representada pelo seu filho Giancarlo Civita.

Este editor do blog está lendo “O Brasil”, de Mino Carta jornalista que conhece como poucos a figura de Roberto.

Em uma das passagens mais marcantes ele trata da figura pessoal do filho de Victor Civita, que não tinha o poder que tem hoje, em uma reunião que Mino teve com o chefe da Casa Civil (rs) Golbery do Couto e Silva, em nome da Veja.

Mino era editor chefe da publicação e tentava um acordo pelo fim da censura militar à revista. Ela havia sido suspensa mas voltava por conta de uma charge de Millôr Fernandes que mostrava um torturado numa cela enquanto um balão sai detrás da porta e decreta: “nada consta”.

Ao entrar na sala de Golbery, Mino fora avisado de que o filho do chefe estava presente mas não tinha hora marcada. Ficou contrariado mas acabou vencido pelo cansaço e permitiu que Roberto acompanhasse a reunião, sem antes dar um aviso: “você entra comigo, mas se compromete a não abrir a boca”. A promessa veio.

Dentro da sala a conversa evolui e Golbery promete uma saída para a Veja ir pras bancas normalmente naquela conturbada semana.

A reunião não acabaria, no entanto, sem um único pitaco de Roberto Civita: “General, se o senhor acha que devemos tomar alguma providência em relação ao Millôr Fernandes…” e a resposta vem sem reticências: “Senhor Civita, não pedi a cabeça de ninguém”.

Na antessala, Mino busca o tom mais desprezível que consegue e solta: “bem que tinha pedido que você ficasse calado, mas você é um imbecil”.

Não cheguei ainda ao fim do livro do Mino, logo, não sei se ele trará mais palavras “simpáticas” a Roberto Civita.

Mas este blog, em seu primeiro dia de funcionamento, não poderia deixar de homenageá-lo.

Anúncios
Esse post foi publicado em Mídia e marcado , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Civita II por Mino Carta

  1. Pingback: O funk desce o morro pacificado |

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s