FHC rumo a imortalidade

FHC

Como Mun-rá, FHC busca a vida eterna

Cuidado ! Essa deu na Veja:

De Lauro Jardim

A disputa pela vaga na Academia Brasileira de Letras aberta com a morte de João de Scantimburgo teve suas articulações iniciais num almoço no paulistano La Casserole, na quinta-feira. À mesa, Nélida Piñon, FHC, José Sarney e mais quatro pessoas.

No meio do almoço, Nélida foi avisada, por celular, que Scantimburgo morrera. Ato contínuo, avisou Sarney, que puxou FHC e ela num canto. Sarney convidou, ali mesmo, FHC a candidatar-se.

Nélida pediu um “de acordo” de FHC para que ela e Sarney pudessem levar o assunto  aos outros acadêmicos. A dupla recebeu o o.k.

Nos dois dias em que se seguiram ao almoço em São Paulo, a movimentação foi intensa. FHC já conta com votos de grandes eleitores da ABL. Eduardo Portella, por exemplo, que estava com outro possível pretendente – Carlos Guilherme Motta – converteu-se ao ex-presidente.

FHC teria, já garantidos, os votos de Celso Lafer, Paulo Coelho, Merval Pereira, Geraldo Hollanda Cavalcanti, Antônio Carlos Secchin, Sergio Paulo Rouanet, Alberto da Costa e Silva, Sábato Magaldi, Hélio Jaguaribe, Marcos Villaça e José Murillo de Carvalho.

FHC quer ser candidato – ou melhor, quer ser imortal. Mas só entrará na briga com a certeza da vitória. Não quer, a essa altura da vida, entrar numa disputa como essa para perder. Não quer repetir JK. Até quinta-feira, avaliará esses apoios.

Salvo alguma surpresa de última hora, a cadeira será oficialmente declarada vaga na quarta-feira e, em seguida, chega à ABL uma carta de FHC assumindo a candidatura.

Em resumo, o pai da candidatura de FHC acabou sendo Sarney com quem esteve praticamente rompido a partir do final do seu governo. O motivo foi a ação da PF que resultou na implosão da candidatura de Roseana Sarney à presidência.

 

Saindo do Foco:

Por Murilo Silva

Esse editor apostou mais cedo um cruzeiro velho na eleição de Carlos Ayres Britto para a vaga de João de Scantimburgo na imortalidade.

Mas, como diria Luiz Vaz de Camões “Cesse tudo o que a musa antiga canta, que outro valor mais alto se alevanta!”

Ferrei-me com um cruzeiro, ou não?

 

Anúncios

Sobre Murilo Silva

Jornalista por acidente.
Esse post foi publicado em Política. Bookmark o link permanente.

2 respostas para FHC rumo a imortalidade

  1. Pingback: FHC: só os nobres podem viver para sempre |

  2. Pingback: José Mujica pode ganhar Nobel por estatizar Maconha |

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s