Cavaleiros circulam vigiando as pessoas. Não importa se são ruins. Não importa se são boas…

Será que algum vândalo invadiu o perfil da PMERJ?

Será que algum vândalo invadiu o perfil da PMERJ?

Por Bruno Pavan

Os protestos seguem no Rio de Janeiro de Cabral.

Hoje, na chegada do papa ao Brasil, milhares de pessoas tomaram as ruas das Laranjeiras para protestar contra o governador.

E, novamente, o encotro entre manifestantes e PM não terminou bem.

Este editor acompanha os acontecimentos pelo twitter.

Ele viu um manifestante jogar um coquetel molotov num PM, que se feriu, bombas de gás e manifestantes presos por portarem um “celular para incitar crimes”.

Há uma informação, que carece de confirmação, de que um manifestante foi atingido por uma bala de chumbo que partiu de um policial.

Tentarei colocar algumas coisas na gaveta: a mídia Ninja, que teve duas pessoas presas quando filmavam a manifestação, faz mais torcida organizada do que jornalismo.

Está muito próxima dos Anonymous, por quem este editor não nutre a menor simpatia.

A corporação da Polícia Militar é violenta e truculenta, resquício de uma época de ditadura.

Sergio Cabral é o governador que gosta muito de ricos.

E ven(deu) o MaracanãX para a iniciativa privada depois de gastar R$ 1,5 bilhão.

Ou seja, amigo colaborador, santo é uma coisa que não existe nessa história toda.

E isso não é ficar em cima do muro, ou tucanar, como preferem alguns.

A PM está a quilômetros de distância da sociedade civil.

Na periferia, onde o caveirão não é ponto turístico, a polícia é tão mal vista quanto o tráfico há muito tempo.

E essa distância faz as duas partes enxergar o outro como inimigo.

Para a maioria dos manifestantes, a PM é um inimigo a ser combatido. Enquanto a corporação sai às ruas sem identificação na farda para prender portadores de vinagres e de celulares.

Está tudo errado, caro colaborador!

Agora a truculência e o despreparo invadiu a sala de jantar e as pessoas estão preocupadas em morrer.

A polícia tem que se reinventar e responder para si mesma o que quer: continuar agindo na defesa de patrimônio e em reintegrações de posse ou se humanizar e se aproximar da população?

A resposta pra isso quem vai dar são nossos governos  que precisam sair da zona de conforto de entregar carta branca a PM e agir como verdadeiros estadistas.

(Por onde anda José Eduardo Cardoso???)

Anúncios
Esse post foi publicado em Brasil e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s