O jornalismo meme

Por Bruno Pavan

O jornalismo é separado em várias especialidades: investigativo, político, econômico, esportivo, cultural etc etc etc…

Nos últimos anos ele ganhou mais um, que faz um tremendo sucesso: o caça-cliques.

Como as pessoas não tem mais tempo pra nada na internet, se escreve uma manchete ultra sensacionalista, prometendo uma bomba, e não entrega nada.

“Atriz global tem problema grave de saúde”, você clica e descobre que o problema é um SUPOSTO hipotireoidismo.

Outro truque é o das notícia bizarras/fofas: “Pássaro salva elefante de incêndio na Indonésia” ou “Homem nu rouba loja de cuecas em Estocolmo”.

E tem aquele mais clássico, o caça-cliques moleque, caça-cliques arte: você simplesmente arruma uma forma de colocar mulheres de biquinis na home.

“Massa de ar quente chega a SP. Temperatura pode chegar a 30º. Veja o movimento das praias paulistas em nossa galeria de imagem.”

E isso dá resultado!

Eu mesmo já me vi clicando em várias delas, além disso já ter virado piada no Twitter.

Mas essa modalidade de jornalismo saiu das editorias de celebridade e bizarras.

Hoje ela já tem pernas pra entrar de cabeça nos espaços mais “nobres” dos jornais como a editoria de política e, até mesmo, na capa.

É o jornalismo meme.

Meme, pra quem não sabe ou não faz questão de saber, são aquelas imagens com frases engraçadas que rodam na internet.

O mais famosos deve ser aquele do Chapolin.

Pois bem, a Folha de S. Paulo, um dia após o STF julgar procedente os embargos infringentes que darão novo julgamento aos réus do mensalão que tiveram quatro votos a favor de sua absolvição, recorreu ao jornalismo meme  na capa.

Bom, a imagem tem tudo pra virar hit.

Um mascarado ensaiando jogar uma pizza (só melhora) e José Dirceu, na outra ponta da foto, com o agasalho do Corinthians.

É um meme pronto.

Trata-se de uma injustiça com as imagens que já me arrancaram (e arrancam) risadas.

A TV não fica pra trás nesse assunto.

Cada vez mais vemos vídeos de jornalistas que certamente estão por dentro das demandas do gigante feitos exclusivamente para virar meme de Facebook.

O cidadão Telettubie, como bem diz Matheus Pichonelli aqui não gosta de pensar, gosta mesmo é de repetir.

Quando dá de cara com um vídeo “em que o jornalista expressa sua revolta” basta um “disse tudo” ou “jornalista com coragem” para marcar sua posição.

Está tudo mastigado, é só “compartilhar se você também se indigna como tudo isso que está aí”.

O editor Murilo Silva já analisou o jornalismo que merece acabar.

O jornalismo meme não deveria nem existir.

Ele simplesmente entra no Fla-Flu Datenístico.

E separa quem é “cidadão de bem” de quem “defende mensaleiros”.

Anúncios
Esse post foi publicado em Mídia e marcado , , . Guardar link permanente.

2 respostas para O jornalismo meme

  1. Pingback: O rosnar da imprensa |

  2. Pingback: Quando o Jornalismo perde o bonde da História |

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s